Como parar de usar drogas sozinho

Como parar de usar drogas sozinho?

É comum que muitos dependentes químicos tenham vergonha de pedir ajuda para conseguir deixar as drogas. Portanto, se você se encaixa nessa situação e gostaria de saber como parar de usar drogas sozinho, continue lendo, pois te daremos dicas que irão te ajudar!

Algo bem importante de se pontuar logo a princípio é entender os motivos do consumo de drogas. Isso é essencial para determinar o modo de combater a dependência química e abandonar o vício.

Existem diversos fatores que levam uma pessoa a abusar dessas substâncias.

Eles podem ser sociais, emocionais ou podem estar relacionados a algum distúrbio físico ou mental.

O ambiente em que o dependente está inserido é uma das questões com o maior peso.

O contato com entorpecentes costuma acontecer por meio de pessoas muito próximas, como amigos ou até familiares.

Os fatores emocionais estão relacionados ao meio social em que um dependente químico convive.

O abuso de substâncias pode acontecer diante do envolvimento emocional com quem estimula ou facilita o acesso a essas substâncias.

Também pode se dar como uma forma de fuga de determinada situação, como uma intriga familiar, por exemplo.

A dependência química também pode causar ou esconder outros problemas de saúde.

Como muitos entorpecentes atuam no sistema nervoso do indivíduo que os consome, eles podem desencadear ou agravar transtornos mentais.

Em alguns casos, essas substâncias mascaram os sintomas, dificultando o diagnóstico correto.

Citamos alguns motivos que podem levar uma pessoa a abusar das drogas, mas a verdade é que isso é muito pessoal e para se conseguir um diagnóstico preciso, uma ajuda profissional é praticamente indispensável.

Mas vamos nos ater ao título desse artigo que é como parar de usar drogas sozinho.

Passos importantes de como parar de usar drogas sozinho

Passos importantes de como parar de usar drogas sozinho

O primeiro passo que, você que está lendo talvez já tenha tomado, é reconhecer o vício, a dependência. Isso parece meio óbvio de se dizer, mas a verdade é que a grande maioria dos dependentes químicos não reconhecem-se como tal.

Portanto, se você sabe que precisa de ajuda e quer parar com as drogas, já tomou um grande passo!

Outra coisa que você pode fazer se realmente quer parar de usar drogas sozinho é ser comprometido com você mesmo.

Parar de usar drogas com a ajuda de alguém já é difícil. Sozinho, então, é bem mais.

Não estamos dizendo isso para te desanimar, mas de fato não é uma tarefa fácil.

Portanto, comprometa-se a parar, pois acontecerão muitas situações que te farão querer desistir. Seja forte!

E algo que pode te ajudar a ser comprometido é traçar metas, criar um plano para que você parar de usar drogas.

Por exemplo, suponhamos que você seja dependente do álcool e beba todos os dias.

De início você pode ter uma meta de beber um dia sim e outro não, depois ir aumentando o número de dias sem a substância.

Os exercícios físicos também podem te ajudar se você quer parar de usar drogas sozinho. Seu corpo e sua mente estarão sob estresse quando você estiver lutando para vencer o vício em drogas.

O exercício regular ajuda a aliviar o estresse e a fazer você se sentir melhor consigo mesmo.

Esses são alguns passos que você pode dar se quiser parar de usar drogas sozinho. Porém, como já falamos antes, se você tiver uma ajuda profissional e também da sua família, as coisas se tornam menos difíceis.

Entre em contato com o Grupo Nova Etapa. Sem dúvidas iremos te ajudar nessa difícil batalha!

Como fazer meu marido parar de beber

Como fazer meu marido parar de beber?

O Grupo Nova Etapa tem uma grande preocupação com a família e sabe que muitas delas sofrem com o alcoolismo, principalmente as mulheres. E se você, mulher, se pergunta: “como fazer meu marido parar de beber?”, esse artigo é para você. Continue lendo, pois vamos compartilhar dicas que irão te ajudar!

O alcoolismo é uma doença que atinge muitas pessoas ao redor do mundo, trazendo inúmeras consequências para a saúde física, emocional e mental.

O consumo excessivo de álcool também prejudica as relações que a pessoa possui, afastando-a cada vez mais de sua família e inclusive dos amigos.

Os efeitos do álcool são mais intensos do que as pessoas imaginam, por isso é necessário prestar atenção nas pessoas a sua volta que possuem esse vício.

Escolher começar a beber, pode ser fácil. Já parar, nem tanto. Na verdade, quando estamos falando de um dependente alcoólico, parar por conta própria, sem nenhuma ajuda, é algo extremamente difícil, principalmente se o alcoólatra já se encontra nessa situação por um tempo prolongado.

Se o seu marido tem o hábito de consumir bebida alcoólica exageradamente é necessário tomar atitudes para que a situação não fuja do controle e tome proporções que nunca imaginou, como prejudicar o casamento de vocês, por exemplo.

Saiba que você não é a única que sofre com o alcoolismo por parte do seu marido. São milhares de mulheres que passam pela mesma dificuldade que você

Elas também se perguntam: “como fazer meu marido parar de beber?” como um ato de desespero, por desejarem não só a recuperação do marido diante do vício, mas também salvar o casamento.

Como fazer meu marido parar de beber: 4 dicas úteis

Como fazer meu marido parar de beber

1 – Não tenha bebidas alcoólicas dentro de casa

O maior problema de quem bebe é justamente ter a bebida dentro de casa podendo bebê-la sempre que sentir vontade.

Você precisa seguir a mesma lógica de uma pessoa que está de dieta. Se ela tem vontade de comer um doce, mas o doce não tem em sua casa ela segue em frente na dieta. Então tente fazer o mesmo. Incentive a mudança e evite bebidas alcoólicas em casa.

2 – Não seja agressiva

Se a sua dúvida é “como fazer meu marido parar de beber?”, agressividade não vai ajudá-la a fazer o marido se afastar da bebida. Pelo contrário, ela pode servir como um estímulo e a partir daí ela aumentará as doses de bebida.

Você precisa usar sua simpatia e sensibilidade para trazê-lo para perto, falando abertamente sobre tudo o que a bebida causa na vida dos dois, prejudicando cada vez mais a relação.

3 – Deixe claro seu posicionamento sobre ele beber

Fingir que nada está acontecendo e tentar ignorar o problema não vai te ajudar. Seu marido tem um vício e ele precisa de cuidados para que possa se recuperar.

Existe a necessidade de conversar com ele, ser realista sobre a situação e falar de como se sente, o quanto não tolera a situação. Seja sincera e sugira uma mudança em suas atitudes. Caso contrário, a relação terá consequências.

4 – Procure ajuda profissional

Infelizmente você sozinha talvez não consiga ajudar o seu marido. Se esse for o caso, tudo bem, mas não cruze seus braços deixando a situação piorar.

O Grupo Nova Etapa é especialista em combater o alcoolismo ajudando diversas famílias, principalmente casais, a serem mais felizes sem o álcool como obstáculo.

Se você ainda está se perguntando “como fazer meu marido parar de beber?”, se mesmo depois dessas dicas você ainda se sente incapaz de ajudá-lo, então entre em contato conosco. Nós estamos à sua disposição!

Como identificar se me tornei uma pessoa alcoólatra

Como identificar se me tornei uma pessoa alcoólatra?

O fim de ano já está chegando. E mesmo que 2020 tenha sido um ano atípico, conturbado, é comum que todos queiram comemorar a chegada de um novo ano, com a esperança de que seja melhor do que o atual. Também é comum que tais comemorações estejam acompanhadas de bebidas alcoólicas. Se você aprecia muito as bebidas alcoólicas tem o seguinte pensamento: “como identificar se me tornei uma pessoa alcoólatra?” esse artigo é para você. Continue a leitura para saber mais!

A bebida alcoólica faz parte da cultura do brasileiro. É normal as pessoas se reunirem para conversar e tomar uma cerveja, por exemplo. Ou até mesmo festas em família contam com as bebidas alcoólicas. E até aí tudo bem. Não há nada de errado nisso.

No entanto, o abuso do álcool leva à dependência e pode causar sérios problemas de saúde, inclusive ocasionar o alcoolismo.

Abuso de álcool e alcoolismo, apesar de estarem correlacionados, não são a mesma coisa. Uma pessoa que abusa do álcool, das bebidas alcoólicas, não pode ser necessariamente considerada alcoólatra. Vamos falar um pouco mais sobre os sintomas do alcoolismo mais adiante.

A Organização Mundial da Saúde chega a classificar o alcoolismo como uma doença psiquiátrica, que apresenta componentes físicos e mentais. Isso significa que, embora existam fatores fisiológicos envolvidos, a dependência muitas vezes é psíquica.

Portanto, é bem importante salientar que alcoolismo não tem nada a ver com desvio de caráter, falta de vontade de mudar ou algo do tipo. Esses são julgamentos comuns por parte da sociedade ao se referir a um alcoólatra.

O vício do álcool é um problema com abrangência global: mais de 3 milhões de pessoas em todo o mundo morrem em consequência direta ou indireta do alcoolismo.

Como identificar se me tornei uma pessoa alcoólatra: sintomas do alcoolismo

sintomas do alcoolismo

Agora que falamos um pouco do alcoolismo e procuramos deixar bem claro que ele é uma doença, vamos falar dos sintomas para te ajudar a responder a pergunta: como identificar se me tornei uma pessoa alcoólatra?

O metabolismo do álcool pelo organismo é feito principalmente pelo fígado, que remove cerca de 98% da substância do corpo humano. O restante é eliminado pelos rins, pulmão e pele.

Os sinais de embriaguez são amplamente conhecidos: euforia, alterações no comportamento, perda da timidez, emotividade exagerada e, em alguns casos, tendência à agressividade. Porém, os sintomas de alcoólatra vão muito além da intoxicação por álcool.

Em geral, pessoas que já se tornaram dependentes tendem a:

  • beber sozinhos e fora de situações sociais.

  • continuar a beber mesmo quando percebem que estão se afastando da família e dos amigos.

  • demonstrar agressividade quando confrontados.

  • ter dificuldades para parar de beber mesmo estando embriagados.

  • apresentar paranoia e alucinações.

  • tentar esconder as evidências do consumo de bebidas alcoólicas.

  • apresentar sinais preocupantes, como perda de memória, tremores, insônia e falta de apetite.

Se você costuma consumir bebidas alcoólicas em excesso e se identificou com algum destes sintomas, tome cuidado. Pois talvez você já tenha a resposta para a pergunta: como identificar se me tornei uma pessoa alcoólatra?

Mas algo que acontece com muita frequência é o próprio alcoólatra ter dificuldade em reconhecer-se como tal. Na grande maioria dos casos é a família que percebe esse estado no outro. E este, por sua vez, tende a negar.

Portanto, se a dúvida “como identificar se me tornei uma pessoa alcoólatra” está te causando certo incômodo, pode ser um bom sinal. Pois se você realmente é um alcoólatra, está um passo a frente da maioria dos alcoólatras que não tem esse tipo de pensamento, muito menos admitem estar com a doença.

Como identificar se me tornei um alcoólatra: sinais que indicam que é hora de procurar ajuda

sinais que indicam que é hora de procurar ajuda

Se você ainda tem dúvidas, se ainda está se perguntando: como identificar se me tornei uma pessoa alcoólatra? Vamos compartilhar com você alguns indícios que mostram que está na hora de procurar ajuda:

Necessidade de beber a qualquer momento

Necessidade de beber a qualquer momento

A bebida alcoólica é uma substância química que causa alterações no organismo de quem a consome. Ela atua no sistema nervoso central do indivíduo, promovendo as sensações de prazer, euforia e entorpecimento.

Essas sensações podem facilmente fazer com que um indivíduo se torne dependente. Uma pessoa que abusa do álcool e procura beber em qualquer ocasião devido à necessidade de manter os efeitos dessas substâncias.

Além disso, à medida que o consumo dessa substância aumenta, a tendência é que o indivíduo se torne mais resistente aos efeitos do álcool e tenha de beber cada vez mais para alcançar as sensações desejadas.

Algumas pessoas chegam a trocar as refeições pela bebida, o que oferece um grande risco à saúde.

 Fadiga e dificuldade de raciocínio

Fadiga e dificuldade de raciocínio

Por atuar no sistema nervoso do indivíduo, é comum o álcool afetar sua capacidade cognitiva.

Entre as drogas psicoativas ou psicotrópicas, ele é classificado como um depressor. Assim, seu consumo causa sonolência e sensação de relaxamento.

No longo prazo, o abuso do álcool pode provocar cansaço físico e dificuldade de raciocínio. Confusão mental e até alucinações podem ocorrer em casos mais graves.

Esses sintomas tendem a ficar mais intensos à medida que a pessoa desenvolve tolerância a essa substância e precisa consumi-la cada vez mais para obter as sensações desejadas.

Distúrbios alimentares ou do sono

Distúrbios alimentares ou do sono

O desejo de consumir bebida alcoólica pode inibir a vontade de se alimentar e causar problemas relacionados à alimentação como a anorexia ou bulimia alcoólicas. Nesses casos, a pessoa deixa de se alimentar intencionalmente e pode induzir-se ao vômito ou purgação (com o uso de laxantes, por exemplo).

Além disso, o álcool costuma retardar o sono de um indivíduo, causando distúrbios como insônia, sonambulismo e até problemas respiratórios, como a apneia do sono.

Alterações no metabolismo

Alterações no metabolismo

O álcool é uma substância rapidamente absorvida pelo organismo após o consumo. Passado o efeito imediato de prazer e euforia, ele pode causar dor de cabeça, náusea e vômito, a chamada ressaca.

O consumo em excesso dessa substância pode prejudicar o funcionamento dos órgãos que trabalham para processar essa substância. Assim, fígado, pâncreas e rins costumam ser os mais afetados pelo abuso do álcool.

Além disso, a falta de bebida alcoólica pode causar a síndrome de abstinência. Ela ocorre quando a concentração de álcool no sangue diminui e costuma causar irritabilidade, taquicardia e suor em excesso (sudorese). Em casos extremos, pode provocar convulsões e até levar a óbito.

Alterações de humor

Alterações de humor

Uma pessoa sob o efeito do álcool costuma demonstrar alegria, euforia e relaxamento. Ela pode se tornar dependente dessas sensações e passar a consumir álcool em quantidades cada vez maiores para prolongar esses efeitos.

Por outro lado, quando a quantidade álcool diminui em um organismo que tem o hábito de processá-lo em grande volume, ansiedade, depressão, irritabilidade e agressividade são alguns dos sinais que podem aparecer.

Assim, torna-se necessário recorrer ao tratamento médico para reduzir gradualmente o consumo dessa substância de modo que o organismo não sofra.

Bem, esperamos ter ajudado você a responder a pergunta: como identificar se me tornei uma pessoa alcoólatra? Mas se você está com dificuldade para lidar com o álcool, queremos ajudar ainda mais.

O Grupo Nova Etapa é uma instituição com anos de experiência em ajudar pessoas a vencerem o alcoolismo. Queremos ajudar você também! Por favor, entre em contato conosco e saiba mais. Será uma grande satisfação para nós poder falar com você!

Clínica de reabilitação para alcoólatras

O Grupo Nova Etapa é uma clínica de reabilitação para alcoólatras, com mais de 20 anos de experiência no ramo. Já conseguimos ajudar milhares de pessoas e famílias que são vítimas do alcoolismo. Somos uma referência no tratamento para alcoólatras.

Nossa metodologia de tratamento e recuperação para alcoólatras são sempre atualizadas, com o objetivo de melhor atendermos a necessidade de cada paciente.

Antes de falarmos um pouco mais sobre o Grupo Nova Etapa, queremos falar tambem sobre o alcoolismo.

O alcoolismo é um problema complexo, que vai além de ser uma doença. Na verdade, muitos ignoram a gravidade do alcoolismo, confundindo pessoas que consomem muito álcool com aqueles que realmente são dependentes da bebida, ou seja, alcoólatras.

Aqui, quando usamos o termo alcoólatra, alcoolista, dependente alcoólico, ou simplesmente alcoólico, estamos nos referindo àquela pessoa que não consegue passar muito tempo sem consumir álcool.

Isso nem sempre acontece com pessoas que gostam de consumir bebidas alcoólicas, mesmo que em grandes quantidades.

O alcoólatra, em sua grande maioria, não consegue abandonar o vício, precisando da ajuda profissional que pode ser encontrada na clínica de reabilitação para alcoólatras do Grupo Nova Etapa.

Um hospital convencional pode atender um alcoólatra em situações de emergência, mas não possui estrutura para reabilitá-lo. Por exemplo, caso a pessoa sofra um coma alcoólico e precise ser ajudada imediatamente, ela pode ser levada a um hospital mais próximo, e não necessariamente a uma clínica de reabilitação para alcoólatras.

Por outro lado, para controlar o alcoolismo e ter uma vida “normal”, sem grandes complicações causadas pela doença, o tratamento na clínica de recuperação para alcoólatras é necessário. Afinal, o alcoolismo é uma doença crônica, ou seja, não tem cura, no entanto o tratamento adequado proporciona bem-estar ao alcoolista.

 

Como uma clínica de reabilitação para alcoólatras trabalha?

Como uma clínica de reabilitação para alcoólatras trabalha

Em poucas palavras, podemos dizer que a clínica de reabilitação para alcoólatras é uma espécie de hospital “aprimorado”. Podemos compará-la a um hospital no sentido de também possuir uma equipe de saúde como: médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem, socorristas, paramédicos, entre outros.

Na clínica de recuperação encontramos uma estrutura hospitalar para cuidar do paciente. Tanto quando ele chega na clínica, onde uma triagem e exames são feitos para avaliar qual a situação atual deste, quanto para avaliar seu progresso no tratamento do alcoolismo.

Mas a clínica de reabilitação para alcoólatras vai além do que um hospital convencional pode oferecer. Ela também cuida da saúde mental do alcoolista, além, é claro, da saúde física como acabamos de falar.

Afinal, como o próprio código do “CID” o define, o alcoolismo é um conjunto de transtornos mentais e comportamentais devidos ao uso de álcool. Portanto, na clínica de recuperação para alcoólatras tratamos da saúde física. Porém temos tambem um cuidado especial com a saúde mental de nossos pacientes aqui no Grupo Nova Etapa.

Nós contamos com uma equipe de psicólogos, psiquiatras e terapeutas que juntos elaboram tratamentos eficazes que ajudam nossos pacientes a se libertarem do vício, ou seja, da vontade quase que incontrolável de consumir álcool.

As atividades recreativas estão contidas nesses tratamentos terapêuticos. Além das terapias, tanto em grupo quanto individuais. E as palestras motivacionais. E também não poderiam ficar de fora as atividades físicas que fazem bem não apenas para o corpo, mas também para a mente.

O ambiente e a estrutura como um todo da clínica de reabilitação para alcoólatras influenciam no sucesso do tratamento do paciente. E é por isso que o Grupo Nova Etapa se preocupa com estes detalhes.

Quais são os tipos de internação na clínica de reabilitação para alcoólatras?

Quais são os tipos de internação na clínica de reabilitação para alcoólatras?

A internação nem sempre é necessária para os dependentes alcoólicos. Porém, na grande maioria dos casos, quando um paciente ou sua família procuram ajuda, a doença já está num estágio bem avançado, sendo a internação a melhor solução. Na clínica de reabilitação para alcoólatras do Grupo Nova Etapa trabalhamos com 3 tipos de internações: voluntária, involuntária e compulsória.

Na internação voluntária, o próprio paciente aceita o tratamento e a internação, quando necessária. E em alguns casos, ele mesmo procura ajuda na clínica de reabilitação para alcoólatras, sem precisar da intervenção da família.

Este é um tipo de internação que costuma ser mais eficaz, já que o paciente está totalmente de acordo em iniciar o tratamento e está consciente que precisa de ajuda profissional.

No caso da internação involuntária acontece o contrário. O paciente não aceita a internação. E para que ela seja efetuada, a autorização da família ou de algum responsável pelo paciente é necessária.

A internação compulsória é semelhante a internação involuntária, pois em ambas, a autorização do paciente não é necessária para que se realizem. O que difere uma da outra é que na internação compulsória, a autorização da família também não é necessária.

A internação compulsória é realizada por determinação judicial, após a solicitação feita por um profissional médico competente, certificando que o alcoólatra não possui mais domínio de suas ações e, portanto, é necessária uma intervenção para a sua reabilitação.

Lembramos que, tanto a internação involuntária, quanto a internação compulsória são amparadas pela lei.

O Grupo Nova Etapa conta com profissionais qualificados que sempre prezam pelo bem-estar e integridade de nossos pacientes, principalmente em situações de internações involuntárias ou compulsórias.

Por que escolher o Grupo Nova Etapa?

Qual clínica de reabilitação para alcoólatras no Rio de Janeiro RJ escolher

São diversas as opções quando o assunto é clínica de reabilitação para alcoólatras. Mas então, por que escolher o Grupo Nova Etapa?

Tirando as informações que já falamos logo no início, de termos vasta experiência na reabilitação de alcoólatras, de termos ajudado várias famílias a combater o alcoolismo, nós ajudamos os nossos pacientes na restauração de princípios e valores, para que tenham novamente a capacidade e a força de vontade para permanecerem sóbrios.

Nos preocupamos de verdade com nossos pacientes, sabemos que a luta contra o alcoolismo não é fácil e ela deve continuar, mesmo quando o período em que a internação na clínica de reabilitação para alcoólatras termina.

Oferecemos em nossas estruturas físicas um alto padrão de acomodações, com amplo conforto e segurança, oferecendo a todos o bem-estar e consequentemente o sucesso através nossos tratamentos de reabilitação.

Estamos prontos para ajudar você e sua família a vencerem o alcoolismo. Aguardamos o seu contato.

Clínica de reabilitação para alcoólatras no Rio de Janeiro – RJ

O alcoolismo é um problema que afeta milhões de pessoas por todo o mundo, destruindo a saúde do dependente e desestabilizando famílias. Mas nesse artigo vamos nos concentrar aqui, em nosso país. Mais precisamente no RJ. Portanto, se você está buscando por uma clínica de reabilitação para alcoólatras no Rio de Janeiro RJ, continue lendo.

Muitas pessoas tendem a ignorar o alcoolismo no início, por não saberem identificar quando as coisas estão saindo do controle.

A questão de o álcool ser uma droga lícita e vista como “inofensiva” pela maioria da população mundial, torna seu consumo algo comum e, muitas vezes, incentivado por grupos.

Por exemplo, os mais jovens, quando costumam sair ou se reunirem, seja qual for o motivo, tendem a consumir bebidas alcoólicas. Principalmente se for em alguma confraternização.

Claro que isso não é exclusividade dos mais jovens. Até mesmo famílias quando se reúnem, costumam tomar bebidas alcoólicas, em um churrasco em família, por exemplo.

Colegas de trabalho gostam de tomar uma cerveja no chamado happy hour.

Enfim, são muitas as ocasiões que a bebida alcoólica pode estar presente. E não há nada de errado nisso. Mas o problema não é ingerir o álcool, e sim exagerar. Não é a toa que nas propagandas de bebidas alcoólicas sempre vemos a alerta “beba com moderação”.

Podemos fazer uma analogia com um carro. Não há problema nenhum em se ter um carro, andar pela cidade, viajar, desde que você tenha idade suficiente para ser habilitado e respeite as leis de trânsito, principalmente não excedendo os limites de velocidade.

Consumir álcool também requer uma idade mínima e respeitar limites nas doses ingeridas. Mas se você não respeita os limites, tanto num exemplo, quanto no outro, as consequências podem ser fatais.

Qual clínica de reabilitação para alcoólatras no Rio de Janeiro RJ escolher?

Qual clínica de reabilitação para alcoólatras no Rio de Janeiro RJ escolher

As situações e exemplos que falamos aqui não são exclusividades do Rio de Janeiro, acontecem em qualquer lugar. Mas vamos agora falar sobre qual clínica de reabilitação para alcoólatras no Rio de Janeiro RJ escolher.

O Grupo Nova Etapa conta com diversas unidades espalhadas por todo o Brasil. Inclusive, contamos com uma clínica de reabilitação para alcoólatras no Rio de Janeiro RJ.

Nós possuímos uma infraestrutura completa e equipe terapêutica formada por profissionais altamente capacitados e experientes, oferecendo os melhores tratamentos e obtendo os melhores resultados.

Nosso objetivo é a restauração da qualidade de vida dos nossos pacientes, através do equilíbrio físico, emocional e psicológico.

O Grupo Nova Etapa possui mais de 20 anos de experiência. São duas décadas de sucesso, ajudando milhares de famílias a vencerem o alcoolismo, restaurando a harmonia e a felicidade. Além, é claro, de recuperar a saúde física e psicológica do dependente e também de sua família.

Nós convidamos você a entrar em contato conosco para que possamos esclarecer todas as suas dúvidas com relação ao tratamento do alcoolismo. Temos certeza que você mesmo ficará satisfeito e concluirá por si próprio que o Grupo Nova Etapa é a melhor escolha em clínica de reabilitação para alcoólatras no Rio de Janeiro RJ. Estamos esperando por você!

Clínica de reabilitação para alcoólatras em Minas Gerais

Clínica de Reabilitação para Alcoólatras em Minas Gerais – MG

O alcoolismo, também conhecido por etilismo é uma psicopatologia (doença psicológica) que consiste na ação de consumir de maneira excessiva, periódica e/ou permanente álcool, ocasionando, por sua vez, certa dependência psíquica e/ou física. Mas pessoas nessa situação podem contar com ajuda profissional e assim vencer a doença. Neste artigo vamos falar sobre como encontrar uma clínica de reabilitação para alcoólatras em Minas Gerais MG. Continue lendo para saber mais.

Já não bastasse todo o mal que o alcoolismo causa para o consumidor da substância, ele também abala os familiares e pessoas mais próximas.

Não bastasse a tristeza que é para um parente ou amigo ver o outro dominado pelo etilismo, também podem sofrer abusos como, por exemplo, violência física e psicológica por parte do alcoólatra. Já que a substância, muitas vezes, o deixa descontrolado e agressivo.

Ao ser ingerido, o álcool é absorvido pelo estômago e de lá vai para a corrente sanguínea, o que leva 30-90 minutos. Por meio do sangue, o etanol se espalha para as mais diversas partes do corpo, atingindo todas as células.

Chegando ao cérebro, o primeiro efeito que o álcool causa é a euforia. Desta forma, liberando serotonina, um neurotransmissor associado à alegria e satisfação, sendo que as pessoas ficam desinibidas e até mais corajosas.

No entanto, passado esse primeiro momento, o álcool começa a deprimir o sistema nervoso central. E então, aumentar as quantidades do neurotransmissor GABA, o que pode causar até a perda da consciência.

Em doses elevadas, o etanol pode causar risco elevado de envenenamento, sendo que algumas vezes essa situação provoca a morte por parada cardiorrespiratória de quem consumiu exageradamente.

Como você pôde ver, o abuso de álcool é muito perigoso. Portanto, uma clínica de reabilitação para alcoólatras em Minas Gerais – MG é uma excelente solução.

 

Como encontrar uma boa clínica de reabilitação para alcoólatras em Minas Gerais – MG?

clínica de reabilitação para alcoólatras em minas gerais

Sem dúvidas que, encontrar uma clínica de recuperação para alcoólatras em Minas Gerais é a melhor solução para combater o alcoolismo e salvar vidas desse mal que prejudica tantas famílias.

Porém, você precisa escolher uma clínica de reabilitação para alcoólatras em Minas Gerais – MG de qualidade, que saiba prestar um bom serviço e superar suas expectativas quanto ao tratamento do alcoolismo.

No caso do Grupo Nova Etapa, contamos com mais de 20 anos de experiência no segmento de reabilitação humana.

Ao longo dessas duas décadas já ajudamos milhares de famílias a recuperarem a esperança que haviam perdido por causa do alcoolismo e todos os prejuízos que ele causou.

Nossa equipe terapêutica é formada por profissionais altamente capacitados e experientes, para proporcionar um atendimento com total excelência aos nossos pacientes e seus familiares.

Cada função é realizada com extrema dedicação e profissionalismo. Colaborando, assim, para a construção de relacionamentos saudáveis que auxiliam no processo de recuperação do alcoolismo e do direcionamento comportamental.

Nossas unidades são especialmente desenvolvidas para proporcionar mais do que um ambiente confortável e seguro. Onde cada detalhe é cuidadosamente pensado para oferecer aos nossos pacientes o melhor e mais eficaz tratamento de reabilitação.

Se você sofre por causa do alcoolismo e busca por uma clínica de reabilitação para alcoólatras em Minas Gerais MG, entre em contato agora com o Grupo Nova Etapa. Queremos muito ajudar você!

Clínica para alcoólatras no interior de SP

Clínica para alcoólatras no interior de SP

O alcoolismo tem sido um empecilho na vida de muitas famílias no Brasil e no mundo. Ele arruína relacionamentos, carreiras profissionais, vida social e pode até mesmo levar à morte. No entanto, há solução para este problema e o Grupo Nova Etapa conta com clínica para alcoólatras no interior de SP.

Foi-se o tempo que o interior de SP era sinônimo de tranquilidade e um número de problemas bem menores que nas grandes metrópoles.

É claro que se comparado com a capital, o interior ainda é um local menos problemático, principalmente em cidades menores. Mas como as cidades vêm crescendo, se desenvolvendo, os problemas também crescem juntos.

Problemas como violência, poluição, criminalidade, trânsito intenso, entre outros, costumam mexer com a saúde mental das pessoas, as deixando mais estressadas, apreensivas.

Isso pode contribuir com o consumo de bebidas alcoólicas com o objetivo de “relaxar” ou amenizar os problemas do cotidiano. E esse consumo se tornar cada vez mais constante até que foge do controle e o alcoolismo faz mais uma vítima.

Essa é apenas uma das razões pelas quais uma pessoa pode se tornar um alcoólatra, porém existem muitas outras, como, por exemplo, a própria cultura local.

Pode-se dizer que o alcoolismo é até mais perigoso que a dependência química (relacionada à drogas ilícitas) porque as bebidas alcoólicas são aceitas pela grande maioria da sociedade.

Uma pessoa que bebe “socialmente”, ou até mesmo aquela que não costuma consumir bebidas alcoólicas, mas que quando vai a uma festa, por exemplo, bebe muito, em geral não é mal vista pela maioria das pessoas. Já não se pode dizer o mesmo de alguém que fuma maconha, mesmo que seja só de vez em quando.

 

Onde encontrar uma boa clínica para alcoólatras no interior de SP?

 

Onde encontrar uma boa clínica para alcoólatras no interior de SP

Depois de falarmos um pouco sobre como uma pessoa pode se tornar alcoólatra, chegou o momento de falar como resolver o problema.

E a melhor forma de se conseguir vencer o alcoolismo é procurando por uma boa clínica para alcoólatras no interior de SP.

Uma coisa que queremos destacar é que, se você tem problemas com o álcool, não deve ter vergonha disso, de procurar uma ajuda. Principalmente se você tem uma família ou pessoas que dependem de você de alguma forma.

Como falamos no início, o alcoolismo é uma doença progressiva, ou seja, ela pode piorar com o tempo, inclusive causando a morte. Por isso, não deixe o constrangimento ou a vergonha destruir sua vida e procure ajuda profissional.

O Grupo Nova Etapa conta com mais de 20 anos de experiência em reabilitação humana ajudando diversas famílias a vencerem a dependência química/alcoólica.

Além de profissionais experientes, éticos e competentes, o Grupo Nova Etapa possui excelentes acomodações proporcionando conforto, segurança e tranquilidade para os nossos residentes.

Nós também queremos ajudar você e sua família a terem uma vida mais feliz, saudável e unida, pois sabemos que problemas como o alcoolismo afastam entes queridos.

Portanto, se você procura por uma boa clínica para alcoólatras no interior de SP, entre em contato conosco. Estamos preparados para esclarecer todas as suas dúvidas e encontrar uma solução para o seu problema.

Como lidar com um dependente químico em recuperação

Como lidar com um dependente químico em recuperação?

Uma das maiores tristezas que uma família pode enfrentar é descobrir que um membro se tornou um dependente químico. Assim como uma das maiores alegrias é ver o tratamento e recuperação desse mesmo membro. Mas como lidar com um dependente químico em recuperação? É o que nós vamos descobrir nesse artigo.

A família tem papel fundamental na reabilitação do dependente químico, pois é a sua base. É nela que o adicto vai se espelhar e encontrar forças quando achar que vai ter uma recaída, pois se trata do seu porto seguro e, inicialmente, são as únicas pessoas em quem ele pode confiar.

Por isso, é importante não trair sua confiança e saber agir de maneira adequada nessa fase de recuperação. O apoio que o dependente encontrou ao iniciar o tratamento deve permanecer por parte da família.

A dependência química é uma doença crônica, ou seja, não possui cura. Mas assim como qualquer outra doença crônica, se o tratamento for feito de maneira correta, com ajuda profissional e apoio da família, o adicto terá uma vida normal, sem maiores problemas.

Falando novamente da família, para que ela saiba como lidar com um dependente químico em recuperação, é preciso não se deixar abalar, caso ocorra alguma recaída. Claro que ninguém quer que isso ocorra, mas se acontecer, todos precisam ser fortes e apoiarem-se para que a batalha recomece.

Porém, queremos aqui dar ênfase na atitude que a família deve ter com o dependente químico para evitar ao máximo que recaídas aconteçam.

A seguir, nós vamos compartilhar algumas atitudes que você e sua família devem ter ao lidar com um dependente químico em recuperação.

 

Dicas de como lidar com um dependente químico em recuperação

 

Dicas de como lidar com um dependente químico em recuperação

Antes de começar a ajudar uma pessoa próxima que está passando por um tratamento, entenda o que é a dependência química.

Ser um dependente químico não se trata apenas de ter vontade de consumir drogas. Estão problemas pessoais, emocionais e também a forma como a pessoa lida com tais adversidades. Ao entender que a dependência química vai muito além da vontade ou da fraqueza de um ser humano, você começa a ficar apto a conviver e a ajudar um dependente em recuperação.

Um dependente químico precisa estar em constante observação, não importa quanto tempo estiver longe das drogas. Tenha em mente que é preciso dar força, evitar brigas e discussões que podem levá-lo a uma recaída.

Acima de tudo, é importante ser muito paciente, pois esse problema depende de uma mudança de atitude. Algo que nem sempre se consegue na primeira tentativa.

Confrontos, brigas, discussões e pressão podem ser atitudes muito negativas para quem está em recuperação. Tudo isso pode ser uma forte motivação para voltar às drogas, já que elas oferecem um conforto imediato para o adicto.

Por isso, fuja de brigas e desentendimentos enquanto você estiver perto de alguém em recuperação. Esteja sempre com um sorriso no rosto, tenha uma palavra amiga e tente reverter situações que podem se transformar em conflitos.

Crie oportunidades para unir a família. Essas ocasiões são muito divertidas e uma ótima oportunidade para entreter e não dar chances para os pensamentos ruins.

No começo talvez você ache difícil lidar com um dependente químico em recuperação, mas com muito amor, paciência e perseverança as coisas vão dar certo!

Se você precisa de ajuda profissional para lidar com a dependência química, entre em contato conosco. Estamos à disposição!

Como identificar um dependente químico

Como identificar um dependente químico?

A vida é cheia de desafios e faz parte dela passarmos por momentos de dificuldades. E sem dúvidas um dos maiores desafios que uma pessoa, ou até mesmo uma família pode enfrentar são as drogas. Pensando nisso, vamos falar hoje sobre como identificar um dependente químico na família.

Algo bem comum de se acontecer é que as famílias tendem a pensar que esse é um problema que só acontece com os outros. E que seus filhos são bem educados o suficiente para se envolverem com as drogas.

Mas a verdade é que educação (ou falta dela) nem sempre é motivo para que alguém se envolva com drogas.

E quando acontece da família descobrir que um de seus membros se tornou um usuário de drogas, uma das primeiras reações é a negação. Algo muito perigoso, pois só contribui para que o problema se agrave.

Ignorar um problema, seja ele relacionado à dependência química ou não, sempre é uma má escolha a se fazer. Ignorar ou “fugir” dos problemas não fará com que eles desapareçam ou se resolvam por si sós, sem a nossa intervenção. Por isso, é importante saber como identificar um dependente químico.

Falando sobre a dependência química, ela é uma doença que causa mudanças de comportamento, cognitivas e, ainda, traz sintomas fisiológicos que só serão percebidos quando o indivíduo começa a fazer uso de drogas ou álcool de forma constante.

Não há uma causa específica para a dependência química, mas sim a junção de fatores psicossociais, ambientais e genéticos, como pressão de um determinado grupo, curiosidade, uma perda, dificuldade em resolver alguma situação, tristeza ou até mesmo o sucesso.

 

Principais sintomas que ajudam a identificar um dependente químico

A vida é cheia de desafios e faz parte dela passarmos por momentos de dificuldades. E sem dúvidas um dos maiores desafios que uma pessoa, ou até mesmo uma família pode enfrentar são as drogas. Pensando nisso, vamos falar hoje sobre como identificar um dependente químico na família. Algo bem comum de se acontecer é que as famílias tendem a pensar que esse é um problema que só acontece com os outros. E que seus filhos são bem educados o suficiente para se envolverem com as drogas. Mas a verdade é que educação (ou falta dela) nem sempre é motivo para que alguém se envolva com drogas. E quando acontece da família descobrir que um de seus membros se tornou um usuário de drogas, uma das primeiras reações é a negação. Algo muito perigoso, pois só contribui para que o problema se agrave. Ignorar um problema, seja ele relacionado à dependência química ou não, sempre é uma má escolha a se fazer. Ignorar ou "fugir" dos problemas não fará com que eles desapareçam ou se resolvam por si sós, sem a nossa intervenção. Por isso, é importante saber como identificar um dependente químico. Falando sobre a dependência química, ela é uma doença que causa mudanças de comportamento, cognitivas e, ainda, traz sintomas fisiológicos que só serão percebidos quando o indivíduo começa a fazer uso de drogas ou álcool de forma constante. Não há uma causa específica para a dependência química, mas sim a junção de fatores psicossociais, ambientais e genéticos, como pressão de um determinado grupo, curiosidade, uma perda, dificuldade em resolver alguma situação, tristeza ou até mesmo o sucesso. Principais sintomas que ajudam a identificar um dependente químico Os sintomas que ajudam a identificar um dependente químico são os mais variados, porque tanto seu comportamento quanto a saúde física e/ou as atitudes do usuário podem mudar, por isso é fundamental estar sempre atento. Com o decorrer do tempo e a evolução da dependência química, o usuário será negligente com ele mesmo, pois ele não valorizará coisas que antigamente considerava importante. Sendo assim, a pessoa que faz uso de drogas não dará mais importância para os seus relacionamentos, para sua aparência e para o seu trabalho. Com o objetivo de fugir de compromissos, as mentiras começarão a aparecer e com o passar do tempo, elas só vão aumentar. O dependente químico costuma também apresentar um descontrole financeiro, porque para adquirir a droga, ele precisará investir. E esse gasto passará a ser frequente e conforme o vício avança, seu descontrole financeiro também cresce. Outra característica que ajuda a identificar um dependente químico são as drásticas alterações comportamentais como a depressão, inquietação, frustração e até euforia, todas em grande intensidade. Outro fator que pode ajudar a família a identificar um dependente químico está relacionado às suas atividades e amizades, pois aqueles que começam a fazer uso de drogas abandonam seus antigos amigos e param de frequentar os grupos que costumavam estar presentes. Muitas vezes, aqueles que usam drogas têm o desejo de abandonar o vício. Mas não conseguem fazer isso sozinhos, por isso é fundamental que a família e os amigos deem todo o apoio que essa pessoa precisa. Porém é preciso ainda buscar ajuda profissional. Neste caso, o Grupo Nova Etapa pode auxiliar as famílias a vencerem a dependência química. Entre em contato conosco para saber mais

Os sintomas que ajudam a identificar um dependente químico são os mais variados, porque tanto seu comportamento quanto a saúde física e/ou as atitudes do usuário podem mudar, por isso é fundamental estar sempre atento.

Com o decorrer do tempo e a evolução da dependência química, o usuário será negligente com ele mesmo, pois ele não valorizará coisas que antigamente considerava importante.

Sendo assim, a pessoa que faz uso de drogas não dará mais importância para os seus relacionamentos, para sua aparência e para o seu trabalho.

Com o objetivo de fugir de compromissos, as mentiras começarão a aparecer e com o passar do tempo, elas só vão aumentar.

O dependente químico costuma também apresentar um descontrole financeiro, porque para adquirir a droga, ele precisará investir.

E esse gasto passará a ser frequente e conforme o vício avança, seu descontrole financeiro também cresce.

Outra característica que ajuda a identificar um dependente químico são as drásticas alterações comportamentais como a depressão, inquietação, frustração e até euforia, todas em grande intensidade.

Outro fator que pode ajudar a família a identificar um dependente químico está relacionado às suas atividades e amizades, pois aqueles que começam a fazer uso de drogas abandonam seus antigos amigos e param de frequentar os grupos que costumavam estar presentes.

Muitas vezes, aqueles que usam drogas têm o desejo de abandonar o vício. Mas não conseguem fazer isso sozinhos, por isso é fundamental que a família e os amigos deem todo o apoio que essa pessoa precisa. Porém é preciso ainda buscar ajuda profissional.

Neste caso, o Grupo Nova Etapa pode auxiliar as famílias a vencerem a dependência química. Entre em contato conosco para saber mais.

Como funciona a mente de um dependente químico

Como funciona a mente de um dependente químico?

Mesmo com tanta facilidade à informação como nunca tivemos antes, muitas pessoas por falta de conhecimento têm muito preconceito com dependentes químicos. É algo totalmente errado julgar sem saber como funciona a mente de um dependente químico. Nesse artigo nós vamos procurar entender esta questão.

Em primeiro lugar, um dependente químico não é um marginal, uma escória da sociedade ou algo do tipo. Essas comparações podem parecer exagero, mas infelizmente acontecem.

Muitas vezes, a própria família discrimina o adicto tornando a situação muito pior do que de fato ela já é.

Portanto, a primeira coisa que se deve fazer para entender a mente de um dependente químico e tentar ajudá-lo é não o discriminar, maltratar ou fazer comentários que o diminuam. Por mais que seja difícil lidar com um dependente químico, é necessária muita paciência, amor e compreensão.

Afinal, a dependência química é uma doença presente na relação de doenças relacionadas pela Organização Mundial da Saúde, classificada como “transtornos mentais e comportamentais devidos ao uso de múltiplas drogas e ao uso de outras substâncias psicoativas”.

Apenas no Brasil, a dependência química afeta 4 entre 10 famílias. Infelizmente esse número vem crescendo com o passar do tempo. Algo que deve ser levado a sério e não ser ignorado ou tratado com pouca importância.

 

Características de como funciona a mente de um dependente químico

Características de como funciona a mente de um dependente químico

 

Bem, agora que fizemos esse panorama inicial sobre a dependência química e o adicto, vamos listar aqui algumas características de como funciona a mente de um dependente químico:

  • Indiferença aos vínculos: Um dependente químico quase nunca aceita conselhos de outras pessoas, sejam quem for. Dependendo do nível em que a doença alcançou, ele deixa de se importar com o que as pessoas próximas e desconhecidos pensam a seu respeito. Não é à toa que muitos dos vínculos familiares e de amizade são simplesmente perdidos.

  • Irritabilidade: O que muitas pessoas têm dificuldade de aceitar na forma como funciona a mente de um dependente químico é a sua irritabilidade. Coisas fúteis se tornam motivos para discussões, brigas sérias e até mesmo agressões físicas. O dependente acha que está sempre certo e que os demais é que estão enganados sobre sua situação atual.

  • Inquietação: O vício pela droga altera a maneira como funciona a mente de um dependente químico. Com isso, ele não consegue esconder a inquietação quando fica sem a substância pela qual é dependente. E essa inquietação pode fazer com que a pessoa tenha atitudes que normalmente não teria, caso não fosse a doença, como, por exemplo, furtar objetos para conseguir recursos e manter o consumo da(s) droga(s).

Existem muitas outras características que mostram como funciona a mente de um dependente químico, porém, estas que listamos costumam ser mais comuns na maioria dos casos.

Se você conhece algum dependente químico e quer ajudá-lo, entre em contato conosco. O Grupo Nova Etapa é especialista no tratamento da dependência química e sem dúvidas poderá ajudar!