Qual o melhor tratamento para dependentes químicos

Ao contrário do que muita gente pensa, a dependência química é uma doença e merece ser tratada com seriedade e supervisionada por profissionais competentes e treinados. Existem diversos métodos que são utilizados nesses casos, mas o melhor tratamento para dependentes químicos sempre deve levar em consideração a individualidade do paciente, sua saúde física e mental, seu histórico com as substâncias, o grau do vício, e qualquer outro fator que possa influenciar o tratamento de forma positiva ou negativa.

O tipo de tratamento mais procurado geralmente envolve algum período de internação em uma clínica de recuperação especializada em dependência química. Isso porque permite que o paciente seja supervisionado 24 horas por uma equipe competente, o que faz com que qualquer problema consiga ser rápida e adequadamente tratado, antes que traga qualquer prejuízo. Esse tipo de supervisão é altamente recomendado especialmente nos estágios iniciais da recuperação, em que o paciente irá sentir os efeitos da abstinência da droga, e, posteriormente, por mais algum tempo, até que ele tenha consciência de suas atitudes e consiga começar a mudar o seu comportamento.

O tratamento geralmente envolve uma primeira fase de detoxificação, na qual o usuário é completamente afastado das substâncias nocivas à saúde. Essa fase é a que normalmente precisa de maior supervisão, na medida em que o paciente pode se tornar extremamente agressivo ou deprimido, com tendências suicidas. Por isso, é muito importante que ela seja feita de forma correta e acompanhada por um médico, que poderá medicar o paciente conforme for necessário para que essa fase seja o menos traumática possível.

Entretanto, o detox sozinho não resolve o problema como um todo. Quase que a totalidade dos pacientes apresenta algum distúrbio psicológico, como depressão ou crises de ansiedade, por exemplo, que servem de gatilho para que busquem conforto nas drogas. Se esses problemas não forem tratados, evidente que todo o choque da limpeza do organismo terá sido em vão, na medida em que, na primeira vez que o sujeito for atacado por alguma crise, voltará ao seu padrão de comportamento anterior, buscando alívio nas drogas.

Portanto, o maior objetivo do tratamento de dependência química é diagnosticar as patologias e os problemas pessoais que podem fazer com que o indivíduo busque a solução nas substâncias químicas, e tratá-los, cortando o mal pela raiz. Por isso é que todo tratamento envolve psicoterapias e terapias em grupo, além do envolvimento em palestras motivacionais, para que o paciente consiga identificar os gatilhos que o levam à busca de drogas e modificar o comportamento que ele teria todas as vezes em que se vê tomado por alguma situação potencialmente de risco.

Uma das grandes aliadas dos profissionais que lidam com dependentes químicos é a terapia cognitivo-comportamental, que trabalha a identificação dos padrões de comportamento e a mudança da forma de resposta do sujeito a eles, levando à busca de uma solução alternativa saudável para os gatilhos emocionais. Outro tipo de terapia muito usada é a terapia motivacional, na qual o paciente trabalha os motivos pelos quais ele não deveria usar a substância, e usa esse conhecimento para lutar contra o vício.

 

Blog

Estamos Online