Internação involuntária para alcoólatras

Internação involuntária para alcoólatras

As bebidas alcoólicas tendem a ser consumidas em momentos de confraternização, comemoração e diversão. Mas quando o álcool é consumido em excesso, pode se tornar um grande inimigo. Quando o indivíduo se torna dependente da substância, o mais recomendado é buscar ajuda especializada. Porém, nem sempre é possível convencer o usuário a buscar um tratamento e, dessa forma, a melhor opção se torna a internação involuntária para alcoólatras. Continue lendo para saber mais!

Antes de prosseguirmos e falarmos sobre a internação em si, queremos falar sobre o alcoolismo.

O alcoolismo é uma doença que consta na 10ª edição da Classificação Internacional de Doenças (CID-10), da Organização Mundial da Saúde (OMS). E é classificado como um conjunto de fenômenos comportamentais, cognitivos, fisiológicos e emocionais.

Além disso, o alcoolismo é uma doença crônica, ou seja, não possui cura. Mas pode e deve ser tratado da forma correta, no lugar certo e com as pessoas devidamente qualificadas.

Outro detalhe preocupante a respeito do alcoolismo é que um dos maiores prejudicados pela dependência nem sempre é o alcoólatra.

O sistema de convívio humano, na maioria das vezes, é impactado por algumas ações que visam eliminar a liberdade que possa existir da pessoa com seu entorno.

Cometer irregularidades, exageros e tomar ações sem cabimento, dentro de uma norma ética impregnada na sociedade, são alguns atos que repele a pessoa em qualquer trajetória positiva.

Em diversos casos, as reações acerca dos efeitos do álcool podem destruir famílias inteiras, mas sempre há uma saída. O caminho da internação involuntária para alcoólatras é a chance que a família tem para se proteger e para ajudar o seu ente querido.

 

Internação involuntária para alcoólatras: entenda como funciona

Internação involuntária para alcoólatras: entenda como funciona

A primeira impressão para a maioria das pessoas que ouvem (ou leem, neste caso) a expressão internação involuntária é de que se trata de um procedimento que parece ferir o direito de escolha do dependente alcoólico.

No entanto, esse procedimento é visto de forma legal perante a legislação brasileira e é indicado para casos extremos, quando o dependente, visivelmente, não tem condições para decidir por si só ou não consegue buscar ajuda por conta própria.

Por esse motivo, o debate sobre esse assunto deve ser feito com calma e entre familiares e pessoas próximas ao alcoólatra. Sem dúvidas, há muitos tratamentos contra o alcoolismo que são extremamente eficientes.

A internação involuntária para alcoólatras tem que ser a última alternativa, caso já se tenha tentado outras formas, sem sucesso.

Antes de partir para a internação involuntária, converse com o usuário, demonstre afeto e carinho e mostre-se disposto a ajudá-lo em todas as situações.

Se tudo isso for em vão, então é o momento de recorrer à internação involuntária. A família pode ficar despreocupada, pois não estará fazendo mal ao ente querido, nem indo contra a lei. Muito pelo contrário.

A lei que garante esse direito à família do usuário é a 10.216/2002 e foi estabelecida por meio da portaria federal 2391/2002.

Sabendo agora que a família está garantida por lei a autorizar uma internação involuntária, o primeiro passo para realizar esse procedimento com segurança e responsabilidade é buscar uma clínica de reabilitação que ofereça condições suficientes para esse tipo de tratamento.

Neste caso, você pode contar com o Grupo Nova Etapa. Nós somamos mais de 20 anos de experiência no combate ao alcoolismo. Entre em contato e saiba mais!

Importante: Utilizamos cookies para garantir a melhor experiência em nosso site. Acreditamos que você concorda com os termos